terça-feira, 30 de junho de 2020

Pai de santo picareta - Veja Como identificar um pai de santo picareta

Pai de santo picareta, pais de santo picaretas, pais de santo picareta, é uma turma que anda unida, vários pais de santo estão nesse momento por ai enganando as pessoas, geralmente tem vários grupos no whatsapp e no facebook, e blogs de picareta onde queimam os que faz de verdade e acusam outros sem serem culpados, pense nisso.


Pais de santo picareta, pai de santo picareta 2019, pai de santo picareta, pais de santo picaretas, como identificar um pai de santo picareta, pai de santo picareta 2018, lista de pai de santo picareta, pai de santo picareta 2020, pais de santo picareta 2019

1- Todos os pais de santo picaretas te transformam em uma vítima, seu amor está sempre cheio de macumba, sempre tem uma amizade ou um parente fazendo a cabeça da pessoa contra você, e fazem você acreditar que a pessoa que você quer amarrar te ama e que é só desfazer esses trabalhos e afastar essas pessoas que influenciam seu amor, não seja infantil, você sabe que as vezes somos nos que provocamos ou temos grande culpa no fim dos nossos relacionamentos, e com isso não caia em qualquer ladainha que ouvir, escutar só o que acalma nosso coração é fácil, e ouvir a realidade não é bom, mas é enfrentando a realidade por pior que seja que conseguimos resolver os nossos problemas. 

2- Questione a pessoa que quer contratar se usa animais no seu trabalho e diga que tem medo de consequências, se a pessoa que não tem problemas com certeza a pessoa não é pai de santo, digo isso porque trabalhos que levam animais são de magia negra, e você terá que aguentar as consequências ou se não for um pai de santo picareta ele vai te dizer depois poderá fazer algo para reverter isso.

3- O mais importante, a pessoa que você contratou precisa comprovar que fez mesmo seu trabalho, e isso é feito através de fotos  ou vídeos, então fique de olho, a pessoa precisa te enviar fotos ou vídeos que mostrem claramente os nomes, tem alguns picaretas que chegam ao ponto de dizer que as entidades não deixaram os trabalhos serem fotografados, então se receber fotos sem nomes sabe que caiu num golpe.

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

É muito importante antes de você contratar um pai de santo você perguntar qual a garantia que a pessoa te dá, por mais falsa ou pouca que seja é importante saber, pois com isso você vai ver a índole da pessoa, se é uma  pessoa séria vai ponderar que vai fazer tudo ao seu alcance porém não é um carniceiro(a) que irá te vender um resultado, são nesses pequenos detalhes que você vai pegando quem é a pessoa que está te atendendo, e não se engane, aquela pessoa não é seu empregado só porque contratou um trabalho, tenha cuidado pois pode estar do lado de uma pessoa séria e pessoas sérias tem o ego bastante peculiar e podem largar seu caso, que sabem da sua índole, e você passar dos limites com um pai de santo pode ser acusado(a) de ameaça, intolerância religiosa, calúnia e ate difamação e pode acabar tomando um processo e ter que pagar uma indenização.

E para finalizar sobre os pais de santo picaretas, te digo que você pare de esperar a reposta para a pergunta de que "alguém conhece um pai de santo sério" pois ao invés ajuda pode acabar achando um baita problemão, seja sensata(o) e não perca a compostura acusando as pessoas de forma precipitada, e torço para que você encontre uma pessoa boa para te ajudar, antes de sair um pulo nos comentários e veja os depoimentos e denúncias, espero ter ajudado 

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .